terça-feira, 10 de março de 2009

Às vezes eu gostaria de ser transparente...


Às vezes eu gostaria de ser transparente... Um anjo transparente a voar, sorrir, e fazer cócegas no nariz das pessoas com as penas das minhas asas só pra vê-las sorrir...

De fato, parte do meu desejo já se concretiza... Acho que sou mesmo metade transparente... ao menos nas minhas necessidades... Ninguém parece ver que, igual a todo mundo, eu também preciso de ajuda, cuidado, de auxílio... Não consigo entender que figura é essa que vêem em mim, tão supra, tão indestrutível e intocável...

Por outro lado, é justamente na minha imagem visível que gostaria de ser invisível...

Não reconhecem minhas fragilidades, e sob a imagem que insistem em criar erguem suas carapaças de inseguranças...

Isso é como que uma lança encravada no meu peito por dois motivos:

1. Detesto pessoas medíocres... pessoas fragilizadas por uma imagem inferiorizada de si mesmas... detesto ver pessoas lindas esconder-se sob uma máscara de feiúra que se auto impõem... Daí, não tenho palavras para dizer o quanto me tortura figurar como motivo pra isso... Como a exuberância de Deus na minh’alma serve de parâmetro para esse inferiorizar-se dos que me rodeiam e eu amo...

2. Embora adore as luzes e sombras, adoro a clareza nas relações... o ostracismo conseqüente de inferiorizar-se limita as relações... se ao menos depois do fechamento prolongado se abrissem mostrando uma linda pérola!!! Odeio que construam muros nos caminhos que me unem as pessoas, porque cortei os cabos dos freios da minha bicicletinha da amizade e acabo sempre me espatifando neles...

E a culpa é sempre minha!!!
De minha parte é a soberba e a pouca amizade...
É minha a culpa das suas inseguranças...
Sou culpado por ser feliz...

Por isso quereria ser invisível às vezes, porque não posso deixar de ser feliz e nem anular a ação Daquele que é em minha a força e a própria felicidade... Não sei como deixar de ser quem sou; e nem quero; e nem posso...


Mas um dia ainda serei um anjo... um anjo arteiro escondido nas sombras... para então, invisível, não mais ferir nem induzir as pessoas a insegurança... apenas arrancar-lhes um riso ao fazer cócegas nos pés e no nariz com as pontas das minhas asas...

2 comentários:

Jasp disse...

Nossa... fico feliz por toda esta experiência que você tem vivido. Uma coisa é certa: para mim você já é transparente, já é um anjo,já é amigo, a tal ponto de estarmos juntos na bicicleta sem medo de nos espatifarmos no muro. Sabe por quê? Porque simplesmente nos apoiaríamos um no outro para nos levantarmos e recomeçarmos. No movimento de descida e depreciação que todos vivemos, você tem sido aquele amigo que só com a presença, apenas com as asas, tem me dado forças para voar cada vez mais alto. Por isso, eu preciso de você do jeitinho que você é, te amo assim. Você simplesmente me faz um bem danado, sempre, em tudo... Descobri com sua amizade que nos nossos momentos de ostra (adorei a metáfora) temos construído lindas pérolas, e o melhor!, você sempre colheu as minhas... espero sempre poder colher as suas.
Te amo muito, amigo. Nem era preciso dizer isso, afinal é um axioma. Abraços!!!

DIEGO RABELO disse...

O transparente que nos faz felizes!

;D