sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A Solidão


A vida é uma experiência muito solitária...

A minha solidão é tão profunda algumas vezes que chega a doer...

E aqui não está em questão estar ou não acompanhado... Não!

Quanto a isso não tenho do que reclamar; estou sempre muito bem acompanhado de pessoas maravilhosas...

A solidão a qual aqui me remeto não tem haver com companhia, é algo mais lá dentro sabe?!

É a solidão interior...

É a solidão de andar sem ser visto, compreendido...

É a solidão de não ser amado!!!

Mas há na vida quem não seja ou tenha sido amado? Você pode me perguntar.

E eu respondo com outra pergunta, inversamente proporcional a primeira:

“Onde estão os verdadeiramente amados?”.

De fato, todos nós achamos um dia ter sido amados ou ter amado outras pessoas. Mas será que amamos essas mesmas pessoas ou as representações que fizemos delas? E quanto aos que nos amaram, nos amaram de fato ou apenas aquele detalhe, conveniência ou representação de nós?

Sei que viver pensando não é o melhor caminho, porque não há um termômetro para se medir o quantificar o amor... essa é a grande verdade...

Mas é que só me sinto de fato amado quando sinto que esse amor se aproxima de quem eu sou, do eu verdadeiro, real, aquele anti-social, aquele quando ninguém vê...

Essa coisa da solidão me acompanha de tanto tempo que não me lembro de algum dia ter vivido sem ela; e confesso: enlouqueceria se no mundo não tivesse sido amado de verdade, se não tivessem surgido na minha história quatro pessoas que me quiseram bem por mim mesmo (uma delas já não estando mais aqui para me amar).

Estou cansado de tantas pessoas querendo, para me amar, que eu mude isso ou aquilo, apelando para que eu me torne o que elas querem amar... como posso dizer que me amam assim? rs...

Hoje é mais um dia daqueles em que eu gostaria de ser transparente... não precisar comer nem beber... sair por aí a misturar-me e infundir-me em tudo fazendo e tendo parte em tudo...

Seja bendito esse deserto de onde emana, em ecos, a canção solitária da minha vida...


Um comentário:

Anne Araújo disse...

Pois que seja.
Seja você.
:)